Número de cursos particulares de Medicina dobra em 12 anos

A quantidade de cursos particulares de Medicina criados nos últimos 12 anos mais que dobrou no Brasil. Passou de 64 em 2003 para 157 este ano. As informações são do levantamento Radiografia das Escolas Médicas do Brasil, feito pelo Conselho Federal de Medicina (CFM).

Entre todos os 257 cursos de Medicina públicos e privados, nenhum obteve nota 5, a nota máxima conferida pelo Ministério da Educação (MEC). Do total, 22% obtiveram nota 4; 60%, nota 3; e 18%, nota 2. De acordo com o CFM, as melhores notas dos cursos avaliados pelo MEC estão nas universidades públicas, apesar de nenhuma ter obtido nota máxima

O presidente do CFM, Carlos Vital, diz que a nota não reflete apenas a qualidade do ensino. “O Conselho não entende que se deve fazer nenhuma prova ao final do curso de Medicina. Isoladamente, isso pode significar uma preocupação com controle de mercado. Me parece ser mais coerente fazer essa avaliação no transcurso da escola, inclusive com a prova no final do curso, no sexto ano.”

Para garantir a qualidade dos profissionais que se formam e entram no mercado de trabalho, um projeto de lei que tramita no Senado estabelece a obrigatoriedade de aprovação em um exame para que o graduado exerça a medicina. Para o presidente do CFM, isso não é necessário. Para ele, as avaliações devem ser anuais.

Distribuição e mensalidades

Ainda segundo o CFM, 60% dos municípios que receberam escolas médicas nos últimos dois anos, não atendem o critério de cinco leitos do Sistema Único de Saúde (SUS) para cada estudante em formação. Ainda sobre o levantamento, 69% das graduações estão nas regiões Sudeste e Nordeste. No entanto, São Paulo e Minas Gerais concentram 1/3 de todas as instituições de medicina no Brasil.

Quanto às mensalidades das escolas particulares, a média nacional é de  R$ 5.500. Nas mais caras, o preço pode chegar a R$ 11.700 reais. Os 257 cursos em atividade no país respondem pela formação de 23 mil médicos anualmente.

Fonte: EBC