Redação: conheça as 5 competências que o Enem avalia

A redação é um dos “monstros” que aparecem nos pesadelos dos vestibulandos. Mas não precisa ser assim. Saber o que a prova espera do aluno ajuda a baixar a ansiedade e conseguir escrever um texto que pontue super bem. Os critérios de avaliação são sempre divulgados em editais ou manuais dos organizadores de cada prova.

No caso do Enem, o desempenho dos alunos na redação é avaliado dentro da modalidade de texto dissertativo-argumentativo. A nota máxima é 1.000 para quem tirar o conceito máximo (200 pontos) em cada uma das cinco competências.

Correção de Redação +
Curso Completo

Assine o pacote Semestral por 6x R$ 11,70 e ganhe duas correções de redação por mês!

Experimentar 7 dias

A seguir, explicamos em detalhes quais os principais aspectos a que você precisa prestar atenção para “dominar” esse monstro chamado redação do Enem.

Competência 1: gramática

A Matriz de Referência do Enem define: “Demonstrar domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa“.

Quando se fala em “modalidade de escrita formal”, pode-se interpretar as regras que aparecem nos livros de gramática e que são respeitadas, por exemplo, em livros e jornais. Veja algumas delas:

  • Acentuação
  • Grafia correta (ortografia)
  • Uso do hífen
  • Uso de letras maiúsculas e minúsculas
  • Concordância verbal e nominal
  • Flexão de nomes e verbos
  • Pontuação
  • Regência verbal e nominal
  • Colocação pronominal

Você deve deixar de fora da redação:

  • Registro informal – gírias, regionalismos, palavrões
  • Marcas de oralidade – “conversar” com o leitor, usar expressões como “bem,” “pois é”, etc

Competência 2: proposta

A Matriz de Referência do Enem define: “Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo em prosa“.

O principal erro que o aluno pode cometer, aqui, é desviar do assunto. O tema é um recorte de um assunto maior, então não vale falar genericamente de “violência” quando o tema é “persistência da violência contra a mulher“.

Esta competência testa as habilidade de ler e entender o que é pedido, além de escrever dentro do tema proposto. Uma sugestão para não sair do foco é anotar qual a ideia central do seu texto: escreva a frase em um cantinho do rascunho e releia de vez em quando para garantir que ainda está seguindo a mesma ideia.

>> Veja 16 frases que zeraram a redação do Enem

Outro aspecto importante é a originalidade das ideias. Evite ficar só no que os textos motivadores trazem, use seu repertório sociocultural para se destacar: suas leituras, fatos do noticiário local ou nacional, dados que você sabe de cor (com fonte), etc.

E não esqueça de deixar claro qual o tema! Nas palavras da própria cartilha do Enem: “Mencioná-lo apenas no título, por exemplo, ou deixá-lo subentendido, supondo que a banca irá saber sobre o que você está falando, não é suficiente. Por isso, muita atenção à abordagem do tema, que deve ser clara e explícita”.

Competência 3: argumentação

A Matriz de Referência do Enem define: “Selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista“.

É aqui que entra a avaliação da famosa “coerência” – irmã da “coesão”. Em palavras simples, coerência significa “fazer sentido”. É preciso que uma ideia tenha relação com a outra, e que o leitor consigo acompanhar o raciocínio do autor à medida que avança no texto.

A cartilha do Enem lista algumas outras características da coerência:

  • Escolha das palavras certas (sentido literal)
  • Seleção de argumentos
  • Ordem lógica de apresentação dos argumentos
  • Adequação entre o conteúdo do texto e o mundo real

Para não se perder, pense antes de colocar a caneta no papel: anote suas ideias e faça setas indicando como cada argumento se relaciona com os demais e com a sua tese. Pense em exemplos, dados, histórias que deem base para as ideias que você quer usar. Não esqueça de já pensar em qual(is) solução(ões) você vai indicar para o problema!

Não é assinante?

Estude com a gente!

Competência 4: recursos linguísticos

A Matriz de Referência do Enem define: “Demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação“.

Aqui aparece a outra irmã, a coesão. No encadeamento textual, tudo o que se diz é importante e tem relação. Os nexos ou conectivos (preposições, conjunções, advérbios e locuções adverbiais) funcionam para ligar as frases, em termos de significado, e também conectar os parágrafos.

Os “recursos linguísticos” a que a cartilha se refere são, em boa parte, essas palavras que fazem toda a diferença. Para quem ainda está inseguro, vale revisar o conteúdo, pois a coesão é essencial para quem quer uma nota boa.

Aqui também vale ficar ligado em repetição de palavras (pense em sinônimos), ambiguidades e períodos tão longos que o leitor acaba se perdendo.

Por fim, vale lembrar: o parágrafo é seu amigo! Cada ideia no seu parágrafo, e uma ideia relacionada à outra. Regrinha de ouro para sua redação não ficar um conjunto de coisas desconexas.

Competência 5: intervenção

A Matriz de Referência do Enem define: “Elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos“.

Talvez um dos principais enganos, aqui, é só dar uma ideia solta. Nada disso: você precisa sugerir quem vai executar a sua ideia e quais os efeitos que se espera dessa ação.

Evite os clichês como “investir mais” ou “divulgar nas redes sociais”. Se essa for sua ideia, deixe bem claro como ela vai resolver a questão, quem é o público alvo, etc.

Assine nosso Curso Completo

Opções de pagamento no cartão de crédito ou no boleto, em até 12x! Experimentar 7 dias