Qual curso de engenharia devo seguir?

Um belo dia você decide que vai fazer engenharia. Vai procurar informações, conversar com profissionais, ler textos, assistir a vídeos na internet e, quando se dá conta, o que parecia ser uma tarefa prazerosa acaba virando uma nova angústia: com tantas engenharias que existem, em qual delas eu melhor me encaixo?

Leia também:
> Conheça melhor algumas engenharias
> Confira nosso guia de profissões completo

De fato são muitas opções, e caso você não esteja certo do seu caminho é preciso dedicar um tempo extra para avaliar todas as possibilidades. Para ajudá-lo, listamos as 6 principais áreas da engenharia que existem no mercado brasileiro hoje. Leia e veja com qual você mais se identifica. Depois, procure as universidades que oferecem o curso e confira se elas não têm áreas específicas de atuação – o que é bastante comum na profissão de engenheiro.

ENGENHARIA CIVIL
A Engenharia Civil é perfeita para quem gosta de trabalhar com infraestruturas que causem impacto direto na sociedade. Edifícios, usinas, pontes e todos os outros tipos de estrutura responsáveis pelo desenvolvimento da economia passam pela Civil. Tanto é que muitos economistas consideram a atividade como um termômetro que indica se a economia vai bem ou mal. Entre as áreas de especialização que o curso oferece estão a de Recursos Energéticos, Transportes, Estruturas, Geotécnica, Ambiental e Mapeamento.

ENGENHARIA DE ALIMENTOS
Para quem gosta de química e de agricultura, a Engenharia de Alimentos pode ser uma boa opção. O profissional tem como principal tarefa desenvolver a indústria de alimentos, seja na fabricação, conservação, armazenamento, transporte e comercialização. E para cuidar de todo esse processo é preciso, justamente, se capacitar nas áreas químicas e agrícolas. Para quem entende que a Engenharia de Alimentos é uma área importante para cuidar da saúde da sociedade em geral, dê uma olhada nas especializações em gestão pública.

ENGENHARIA ELÉTRICA
Se a sua praia é eletrônica, a Engenharia Elétrica é a melhor opção. O setor surgiu em meados do século XIX, quando passou a haver distribuição e utilização da energia elétrica. De lá para cá, com as inovações tecnológicas, o ramo só evoluiu. Três áreas que você precisa ter algum interesse para fazer Engenharia Elétrica: 1) Controle e Automação, responsável por sistemas inteligentes para automação industrial; 2) Telecomunicações, que cuida de sistemas de áudio, vídeo e propagação de ondas eletromagnéticas para a transmissão de dados; e 3) Biomedicina, que desenvolve equipamentos para a saúde.

ENGENHARIA DE MATERIAIS
A Engenharia de Materiais é carregada de conteúdos de química e física. O profissional precisa dominar bem as duas áreas para produzir e transformar matéria. Que tipo de matéria? Todas! Metais, polímeros, compósitos e cerâmicos são alguns dos produtos que mais podem ser utilizados para a construção e o desenvolvimento de qualquer tipo de produto. Por isso o engenheiro de materiais precisa acompanhar todas as fases do projeto, o que exige vontade de se relacionar com as mais variadas áreas (eletrônica, marketing e gestão, por exemplo).

ENGENHARIA MECÂNICA
Se química e física são disciplinas queridas, mas você também curte trabalhar com desenvolvimento de equipamentos, a Engenharia Mecânica é o caminho de integração dessas três áreas. Desenvolver motores, usinas de energia, máquinas e demais ferramentas para a indústria exige vasto conhecimento em mecânica, cinemática, termodinâmica, ciência dos materiais e eletricidade. Se essa é sua praia, siga em frente.

ENGENHARIA QUÍMICA
A Engenharia Química é, provavelmente, a mais difusa das engenharias. Ela mescla conhecimentos de química, biologia, física, computação e matemática. Muitos a chamam de engenharia universal. Como saber, então, se essa é a sua engenharia? A nossa dica é pensar no seguinte: enquanto muitas engenharias são focadas em processos, outras estão mais ligadas a produtos. Se você gosta de processos e produtos, a Engenharia Química é a união perfeita desses dois mundos.