Por que o sentido da brisa se inverte durante a noite?

Assim como os outros tipos de ventos, as brisas marítimas e terrestres são deslocamentos de ar provocados pela diferença de pressão entre duas regiões da atmosfera – sempre das zonas de alta pressão (anticiclonais) para as zonas de baixa pressão (ciclonais). Quanto maior a diferença de pressão entre a zona anticiclonal e a zona ciclonal, maior a velocidade do vento.

Embora terra e água recebam a mesma quantidade de calor, a terra se aquece muito mais que a água. Isso porque a água é um bom condutor de calor, de modo que o calor recebido pela superfície é rapidamente transferido para as águas mais profundas, enquanto a terra, que é um mau condutor, concentra o calor recebido em suas camadas mais superficiais.

 

A temperatura mais elevada da terra aquece o ar existente sobre ela, ou seja, a temperatura da atmosfera sobre a terra acaba sendo também maior que a temperatura da atmosfera sobre a água. Como a temperatura do ar é inversamente proporcional à pressão, pode-se concluir que durante o dia a pressão sobre a terra é menor que a pressão sobre a água – eis por que o vento sopra do mar (zona anticiclonal) para a terra (zona ciclonal) durante o dia.

Já durante a noite ocorre o inverso: a água demora mais para se resfriar que a terra, pois as águas profundas mantêm sua temperatura noturna quase igual à diurna. Em consequência, a atmosfera sobre a água fica mais quente que a atmosfera sobre a terra, ou seja, a pressão sobre o mar fica menor que a pressão sobre o continente. Por isso, durante a noite, a brisa sopra da terra (zona anticiclonal) para o mar (zona ciclonal).


Leia também:

> Qual é a diferença entre tornado, ciclone, tufão e furacão?
> Morcegos se alimentam mesmo de sangue?