O ano de 2016 deve ser (mais uma vez) o mais quente da história

Não é a primeira vez (e nem será a última) que escrevemos aqui no Vestibular.com.br sobre o aquecimento global. O que nos leva a retomar o assunto neste texto é a notícia de que julho de 2016 foi o mês mais quente da história. O anúncio foi feito pela agência estadunidense que mede periodicamente as temperaturas do ar e dos oceanos (a Noaa), e foi a 15ª vez consecutiva que um mês quebrou o recorde dentro da série histórica em comparação com o mesmo mês do ano anterior.

E não é de 15 anos pra cá que a situação piorou, não. A série histórica da agência é de 137 anos (ou seja, a temperatura é acompanhada desde 1880!). Com esses dados, a expectativa é que o ano de 2016 seja novamente o mais quente desde o final do século XIX.

Verão no hemisfério norte

Uma coisa a se observar no fenômeno do aquecimento global é o fato de que o mês de julho sempre é o mais quente do ano. Isso ocorre porque é verão no hemisfério norte, que concentra uma maior porcentagem de terra. Como a terra aquece mais rapidamente que os oceanos, o verão do norte tem maior influência na média geral da temperatura do que o verão do hemisfério sul, onde há maior concentração de oceanos.

Vale lembrar aqui a aula sobre calor específico, que é a quantidade de calor que deve ser fornecida para que 1 g de substância tenha a sua temperatura elevada em 1°C. O calor específico da água é maior que o da maioria das substâncias que cobrem a parte terrestre, como a areia.

Situação dramática

Na prática, o aquecimento global já é percebido em vários lugares no planeta. Exemplos: o Kuwait registrou 54°C em julho; o oceano Ártico está 4°C mais quente que sua média histórica e correndo o risco de ter toda a calota de gelo derretida dentro de alguns anos; as queimadas causadas pelo calor aumentaram em regiões como a Califórnia; e tempestades inimagináveis assolam periodicamente regiões subtropicais.

Alguns cientistas calculam que temos apenas cinco anos para diminuir drasticamente o uso de combustíveis fósseis. Do contrário, a média da temperatura pode superar o nível considerado máximo que podemos suportar (que é um aquecimento de 1,5°C).

Temos mais alguns textos que podem ajudar você a entender o assunto, acertar questões e mandar bem em um eventual tema de redação. Confira:

> Poluição no ar: confira bons argumentos para uma redação sobre o assunto
> Veja por que a água pode acabar em 2025
> 3 questões sobre o desastre ambiental em Mariana
> Os oceanos estão mais ácidos; saiba por quê

Além disso temos uma aula excelente sobre petróleo do professor Marcelo, de Geografia, que esclarece exatamente todos os problemas relacionados ao tema. Assista:

Captura de Tela 2016-08-22 às 15.18.35