Nova tabela periódica: 6 coisas podem cair nos vestibulares de 2016

A tabela periódica, companheira inseparável dos vestibulandos, vai aumentar em 2016. Ela acabou de ganhar quatro novos elementos químicos, com os números atômicos 113, 115, 117 e 118. A descoberta ocorreu há algumas décadas, mas só agora os elementos foram definitivamente incorporados. Assim, partir deste ano, a última linha da tabela, que ia apenas até o número 112, está completa!

Os novos elementos ainda não têm um nome oficial. Na Química, costuma-se recorrer a mitologia ou a cientistas relevantes na hora de se batizar novos integrantes da tabela. Enquanto isso, serão temporariamente chamados por nomes bastante exóticos. São eles o unúntrio, que na tabela vai ficar com a abreviação Uut e terá como elemento o 113; o unumpêntio, de abreviação Uup e elemento 115; o ununséptio, que fica como Uus e será o 117; e o ununóctio, que na tabela será abreviado como Uuo e terá o elemento 118.

Esses elementos não são encontrados na natureza. São formulações sintéticas (ou seja, criadas pelo homem) e com alto grau radioativo. Além disso, são extremamente instáveis e têm, depois de criados, uma vida curtíssima, perdendo a estabilidade em milissegundos. Incrível, não é mesmo?

A mudança não é a primeira desta década. Em 2011, outros dois elementos haviam sido implementados. Foram adicionados o 114 e o 116, batizados respectivamente como ununquadium e ununhexium. Agora, com a nova descoberta, a tabela periódica ficou assim:

2000px-Periodic_table_pt

Bom, vamos agora ao que interessa aos vestibulandos. Levantamos 6 questões que podem aparecer nos vestibulares de 2016 sobre a nova tabela periódica:

1) Os elementos descobertos pertencem a uma mesma família?
Não, eles fazem parte de um mesmo período, que é o sétimo. Famílias agrupam os elementos que ficam em uma mesma coluna da tabela. Os períodos englobam os elementos de uma mesma linha.

2) Os novos elementos possuem o mesmo número de camadas eletrônicas?
Sim. O número do período corresponde exatamente ao número de camadas eletrônicas, que é a camada de valência. Os novos elementos têm, assim, sete camadas.

3) Os elementos descobertos possuem as mesmas propriedades?
São semelhantes, mas não iguais. As propriedades periódicas mudam de elemento para elemento. No caso dos novos, como estão no mesmo período, ficam assim: quanto mais à direita, maior o potencial de ionização, a eletroafinidade e a eletronegatividade. Quanto mais à esquerda, maior o raio atômico e a eletropositividade. Para saber mais detalhes sobre as propriedades dos elementos, leia este texto.

4) Os elementos descobertos são encontrados na natureza?
Não. Qualquer elemento químico superior ao 92 é sintético. Além deles, o tecnécio (de número atômico 43) e o promécio (de número atômico 61) também são artificiais.

5) Os elementos descobertos têm o mesmo número atômico?
Não. O número atômico é o número de prótons que o átimo apresenta em seu núcleo. Se o elemento tem o número 118, como é o caso de um dos elementos descobertos, ele então possui 118 prótons no seu núcleo.

6) Outros conceitos que você precisa dominar para acertar questões que envolvam os novos elementos são: número de massa, íons, isoeletrônicos, isóbaros, isótonos e isótopos. Se você quer conhecer bem esses pontos, confira este nosso texto sobre a estrutura da matéria.

Gostou? Então compartilhe 😉