Macete ajuda a lembrar as 9 bacias hidrográficas do Brasil

Já diz o ditado que a água é a fonte da vida. Por causa da importância social e econômica da água, os rios brasileiros são figurinhas carimbadas das provas do Enem e do vestibular.

Além da óbvia importância para a sobrevivência dos seres vivos, a água tem papel central na agropecuária e na geração de energia. No nosso país, o potencial de navegação também é bastante relevante.

Prepare-se para o Enem 2019!

Receba aulas, dicas e temas de redação para a próxima prova

* preenchimento obrigatório
 

Plano de Estudos para o Enem 2019

Saiba o que estudar a cada semana em uma agenda organizada e fácil de usar. Mais fácil que isso, só a agenda do tempo de colégio 😉 Veja o cronograma

Bacias hidrográficas

Bacias hidrográficas são conjuntos de rios. Costumam agrupar-se em função da região e dos cursos, entre outros fatores.

Para você que vai fazer a prova do Enem ou do vestibular, há uma boa notícia! Ainda que haja nove bacias importantes no Brasil, a maioria delas tem características semelhantes.

Isso significa que você pode lembrar de várias informações com um único macete. Além disso, fica fácil de saber quem são as exceções e em que elas se diferem.

Macete para decorar

Para lembrar quais são as características das principais bacias hidrográficas brasileiras, criamos um macete:

PLAntei PÊRas em PLUtão e EXijo EScada

Esse é o macete para saber das características comuns das bacias hidrográficas brasileiras. Ou seja: são de relevo PLAnalto, abastecimento PERene e regime PLUvial, além de terem drenagem EXorreica e foz em EStuário.

Não é assinante?

Estude com a gente!

 

Nessa lista, incluem-se seis das principais bacias hidrográficas do Brasil:

  • Bacia hidrográfica do Amapá
  • Bacia hidrográfica do Tocantins
  • Bacia hidrográfica do São Francisco
  • Bacia hidrográfica do Leste
  • Bacia hidrográfica do Sudeste
  • Bacia hidrográfica do Uruguai

Bacias de planalto

A referência ao relevo tem a ver com o curso do rio, ou seja, em que tipo de terreno se encontra. Claro, como o relevo predominante no Brasil é o planalto, essa também a realidade dos rios.

Detalhe importante: rios de planalto são muito importantes para a produção de energia.

Bacias perenes

Perene significa permanente. Assim como as folhas da Biologia, bacias de abastecimento perene são aquelas que estão sempre com água, ou seja, nunca secam.

Bacias pluviais

Pluvial significa que vem da chuva. No caso das bacias hidrográficas equivale a dizer que a principal fonte de água é a da chuva. Vale lembrar que, como o clima predominante no Brasil é o tropical, os índices de chuva por aqui costumam ser altos na maioria das regiões, o que justifica esse regime para os rios.

Não é assinante?

Estude com a gente!

Bacias Exorreicas

“Exo” é o prefixo que indica “para fora”, que nem na reação exotérmica na Química. No caso das bacias hidrográficas, significa que a drenagem dos rios segue em direção ao mar.

Bacias com foz em estuário

Estuário é aquele tipo de escoamento que parece um “braço” quando chega no mar. O curso da água é único. A distinção é feita com a foz em delta, quando vários “braçinho” de água formando caminhos diferentes para chegar ao mar.

Imagem do Google Mapas mostra foz do rio Tocantins e do rio Amazonas, a primeira em estuário, a segunda, mista

Bacias “diferentonas”

Como em tudo na vida, claro que há exceções. Como hidrografia, relevo e clima estão sempre de mãos dadas, há locais com características específicas que, combinadas, vão resultar em outras configurações de bacias hidrográficas.

O macete para saber quais as bacias hidrográficas que são exceções no Brasil é:

PARtiu NOta Alta!

A bacia do PARaguai não é de Planalto, e sim de planície. Lembre-se: está na planície do Pantanal.

A bacia do NOrdeste, por sua vez, não é perene, mas intermitente. Lembre-se: o clima da região é semiárido.

Não é assinante?

Estude com a gente!

 

A bacia Amazônica é a mais “diferentona”. Ela se distingue do padrão da maioria em três parâmetros, a começar pelo relevo, que é de planície.

No regime, além de água da chuva (pluvial), recebe o importante aporte de águas dos Andes. A neve que derrete lá no alto das cordilheiras e vem alimentar a bacia Amazônica.

Por fim, a foz da bacia Amazônica não é estuário, mas mista. Significa que, além de estuário, tem também uma porção em delta.

Considerando a importância econômica (transporte, energia, pesca), ambiental e social da bacia Amazônica, ela merece atenção redobrada.

E aí, partiu nota alta se a prova cobrar bacias hidrográficas brasileiras? Essas e outras dicas você também pode acompanhar nas nossas redes sociais, seguindo o perfil no Instagram ou no Facebook.

Assine nosso Curso Completo

Opções de pagamento no cartão de crédito ou no boleto, em até 12x! Experimentar 7 dias