Como o saneamento básico pode cair na prova de Biologia?

O termo saneamento básico parece se referir a algo de Geografia ou Atualidades, mas na verdade tem muita relação também com a Biologia. No Enem, esse assunto pode aparecer em qualquer uma dessas provas, já que o tema tem tanto um aspecto humano, quanto natural.

No lado humano, via de regra, entram as questões de Atualidades. A abordagem pode ser em relação a políticas públicas, desigualdades sociais ou urbanização, por exemplo.

Prepare-se para o Enem 2019!

Receba aulas, dicas e temas de redação para a próxima prova

* preenchimento obrigatório
 

Plano de Estudos para o Enem 2019

Saiba o que estudar a cada semana em uma agenda organizada e fácil de usar. Mais fácil que isso, só a agenda do tempo de colégio 😉 Veja o cronograma

O que significa saneamento?

Saneamento vem do verbo “sanear”, que pode significar deixar limpo, higienizado. Outra acepção possível é a de curar, deixar saudável.

Ambas as definições servem ao conceito de saneamento básico, que significa o mínimo necessário para uma condição de vida salutar – ou seja, que propicia saúde. Água encanada e esgoto são os top itens dessa lista.

Por quê “básico”?

Quando se pensa em sujeira, o ideal é pensar em limpar tudo bem direitinho. Mas, todo mundo sabe, às vezes em vez de faxina se dá só aquela “limpadinha”.

Por isso que o abastecimento de água limpa na torneira e a coleta do esgoto sujo para ser levado embora são os dois principais sistemas do saneamento básico. O básico, na verdade, indica que não são essas coisas que são necessárias a um ambiente salutar.

Não é assinante?

Estude com a gente!

Direito constitucional

A Constituição Federal de 1988 determina que o saneamento básico é um direito de toda cidadã e todo cidadão. A lei nº 11.445 de 2007 é que define quais serviços e infraestruturas fazem parte desse direito.

Além de água tratada e coleta de esgoto, incluem-se como saneamento básico, na lei, limpeza e drenagem urbana, bem como manejo de resíduos sólidos (ou seja, lixo) e de águas pluviais. Como no Brasil a falta de infraestrutura é um problema, às vezes o conjunto de todos esses serviços é chamado de “saneamento ambiental”, ficando o “básico” restrito a água e esgoto.

Água tratada

Quando o assunto é água tratada, não tem para onde escapar. A água que sai da torneira deve ter um padrão mínimo de limpeza para que, ao ser ingerida, sirva aos processos vitais sem prejudicar o corpo.

Por isso o abastecimento deve ser realizado seguindo determinados parâmetros. A cloração da água antes de chegar às torneiras é um exemplo de procedimento para garantir a qualidade do líquido antes do uso.

Vale lembrar que, mesmo que a água disponível – encanada ou não – seja ruim, uma forma de diminuir possíveis problemas é fervê-la e filtrá-la. A alta temperatura ajuda a matar alguns microrganismos, enquanto o filtro retém determinadas impurezas.

Não é assinante?

Estude com a gente!

Coleta e tratamento de esgoto

Quem é que já não teve a desagradável experiência de entrar no banheiro e ter uma “surpresinha” que não desceu pelo ralo? Viver sem esgoto é como não ter nem a opção de dar a descarga.

Esgoto é uma palavra só para dois conceitos: coleta e tratamento. A coleta tem a ver justamente com a descarga. O tratamento diz respeito ao que fazer com os dejetos recolhidos nas casas, lojas e indústrias, sempre pensando em impedir que esses resíduos contaminem o ambiente e as pessoas.

Doenças infecciosas

Você que está lendo já deve estar fazendo a conta que, se não tem descarga, bactérias e outros microrganismos nocivos à saúde do ser humano acabam não sendo eliminados do ambiente. Isso, é claro, aumenta as chances de as pessoas entrarem em contato com esses agentes infecciosos.

Além disso, uma vez contraída uma doença ou iniciada uma infecção, fica bem mais difícil de curá-la, já que a(o) doente continua em um espaço cheio de mais microrganismos para entrar de novo no corpo. Voltemos na água: como o remédio vai fazer o mesmo efeito se a água com que ele é tomado está também infectada?

Verminoses

Mais do que infecções, a falta de saneamento básico aumenta as chances de verminoses. Isso porque, tanto as causadas por platelmintos (vermes achatados), quanto as causadas por nematelmintos (vermes cilíndricos) têm em comum a eliminação de ovos dentro do ser infectado.

Aí entra de novo o esgoto: as fezes infectadas que não são tratadas permitem que os ovos sobrevivam. Quase inevitavelmente, esses ovos vão contaminar uma fonte de água ou um objeto de manuseio no ambiente, sendo, então, ingeridas por mais uma pessoa que vai ficar doente.

Não é assinante?

Estude com a gente!

Medidas profiláticas

É por causa desse ambiente propício à proliferação de doenças que, quando se estuda essas patologias, diz-se que saneamento básico é uma medida profilática, ou seja, uma forma de evitar o contágio.

Se alguma das etapas de reprodução dos causadores de infecções e verminoses é interrompida, o ciclo não se fecha. Assim como matar um inseto transmissor impede que uma doença seja transmitida, higienizar os meios de contágio impede que outras pessoas se contagiem.

Conseguiu conectar os pontos? Há vários temas que são assim, estudados em matérias separadas, mas que na vida real fazem parte de um mesmo contexto. É sempre válido, ao terminar de estudar um conteúdo, imaginar onde ele aparece no seu cotidiano e se ele pode ser relacionado com outros tópicos que você já revisou.

Se você curtiu essa dica, pode gostar também dos outros textos de Biologia do nosso blog, onde sempre temos novidades para ajudar quem está estudando para o Enem ou para o vestibular. Siga a gente no Facebook e no Instagram e fique sempre por dentro!

Assine nosso Curso Completo

Opções de pagamento no cartão de crédito ou no boleto, em até 12x! Experimentar 7 dias