Cinemática: conceitos básicos explicados de um jeito inesquecível

Ao estudar Física para passar no vestibular ou no Enem, você não pode deixar de conhecer os conceitos básicos de cinemática, um dos temas mais cobrados nos exames aplicados pelas universidades públicas e privadas.

A cinemática nada mais é do que a parte da mecânica que se encarrega de descrever o movimento, de modo a determinar a posição, a velocidade e a aceleração de um corpo em cada instante. Nesse contexto, o tempo é uma noção desprovida de definição, sendo fundamental para a descrição de todos os movimentos.

 

Os corpos estudados são chamados de móveis e classificados de pontos materiais, ou seja, são corpos cujas dimensões não alteram o estudo de um fenômeno. Confira a seguir os principais conceitos básicos de cinemática para garantir uma boa nota na prova!

Referencial

O referencial é uma espécie de guia, que é usado como base para definir uma grandeza. Ao estar dentro de um automóvel em movimento, se você olhar para o banco, vai vê-lo parado. Nesse caso, também pode-se dizer que a velocidade do banco em relação ao seu corpo é zero.

No entanto, se o mesmo banco for observado ao mesmo tempo por um indivíduo em uma calçada, ele pode dizer que a velocidade do banco não é igual a zero. Tendo a pessoa da calçada como referencial, o banco está se movendo.

Um móvel está se movimentando quando sua posição se altera no decorrer do tempo. Sendo assim, a noção de movimento e de repouso de um corpo sempre será relativa a outro móvel. O corpo pelo qual identificamos se um móvel está em repouso ou em movimento é denominado referencial ou sistema de referência.

Movimento e repouso

Por meio do entendimento do que é referencial, podemos assimilar que movimento e repouso são conceitos relativos, uma vez que o que está se movimentando para uma pessoa que o observa em um referencial distinto pode estar em repouso para outro observador, e assim reciprocamente.

Para entender melhor esse conceito da cinemática, imagine a Terra como referencial. A partir dela, é possível dizer que os países, cidades e prédios estão todos em repouso. Agora, se você tomar a Lua como referencial, a Terra e tudo que está sobre sua superfície apresentará movimento de translação e rotação.

Olhando o mesmo exemplo por outro ângulo: do nosso referencial, na terra, o Sol nasce no leste e se põe no oeste, ou seja, “anda” pelo céu. A Lua a mesma coisa: nasce no início da noite e se põe quando raia a manhã. Olhando “da Lua”, é a Terra que se mexe; olhando daqui, a Lua é que está em movimento.

Trajetória

A trajetória é o caminho percorrido por um móvel que se movimenta em relação a um referencial. Essa concepção também é relativa, porque dois referenciais distintos podem apresentar visões diferentes para um mesmo movimento.

Pense no seguinte exemplo: um trem está se movimentando sobre os trilhos horizontais e retilíneos, mantendo uma velocidade constante de 80 km/h. No momento em que passa pela estação, um objeto que estava preso ao teto cai ao chão.

Pelo ângulo referencial do passageiro do trem, ele e o objeto estão com a mesma velocidade horizontal, o que faz com que, na sua visão, o corpo tenha caído em linha reta. Para quem estava do lado de fora da estação e viu o objeto cair enquanto o trem passava, é como se visse alguém atirando uma pedra no sentido horizontal. A trajetória percebida é em curva e em formato de arco.

Aula gratuita: assista agora!

Estudar os conceitos básicos de cinemática é imprescindível para obter um bom desempenho no vestibular e no Enem, já que é um dos temas mais recorrentes nos processos seletivos universitários. Com base nos exemplos apresentados aqui, você pode aplicar a cinemática na prática e melhorar seu entendimento sobre o que acontece ao nosso redor.

Quer saber mais sobre a mecânica do movimento? Saiba quais são os movimentos básicos da cinemática assistindo a nossas aulas sobre o tema. A aula acima está liberada gratuitamente por tempo limitado, é só apertar “play” 😉