A tal da crase: Aprenda a utilizá-la corretamente

A crase é, sem dúvida nenhuma, uma das grandes vilãs da nossa gramática. Mas será que é mesmo tão difícil entender quando utilizar esse recurso?

Com este texto, vamos tentar tirar esse monstro da sua cabeça e ensiná-lo de uma vez por todas como utilizar a tão temida crase. Confira a seguir!

 
PUBLICIDADE


Dois em um

A primeira coisa que você deve ter em mente é que a crase só é utilizada no caso de fusão entre duas vogais “a”. Aliás, você sabia que a palavra “crase” tem origem grega e significa exatamente isso: fusão?

A regra básica é muito simples: utilizamos a crase quando a preposição “a” se une ao artigo feminino “a”, aos pronomes “a(s)”, “aquele(s)”, “aquela(s)” ou “aquilo(s)”, ou ao pronome “a(s) qual(is)”. Observe que para saber quando aplicar a crase você deve estudar bem a regência verbal, pois precisará saber se o verbo pede ou não a preposição “a”.

Só para “elas”

Outra regra fundamental: nunca se utiliza crase antes de substantivos masculinos! Isso porque, como visto, a crase nada mais é que a fusão de duas vogais “a”, e o artigo feminino “a” obviamente nunca estará antes de um substantivo masculino.

Mas veja bem: substantivos! É preciso prestar atenção aos pronomes demonstrativos masculinos, porque eles, sim, podem ser craseados às vezes.

Não é assinante?

Estude com a gente!

Teoria na prática

Ok, a teoria é simples, mas vamos à prática verificar se é fácil mesmo aplicar as regras acima (sim, “à prática”, pois o “a” que precede a palavra “prática” é, na verdade, uma fusão da preposição “a” com o artigo feminino “a”).

Veja o seguinte exemplo:

Ele vai à empresa todos os dias.

O verbo ir exige a preposição “a”, pois quem vai vai a algum lugar. E o substantivo feminino “empresa” requer o artigo definido “a”. Logo, “a” + “a” = “à”.

Outro exemplo:

Eu conheço aquela aluna.

O verbo conhecer é transitivo direto, ou seja, não exige preposição, pois quem conhece conhece alguém. Portanto, sem crase em “aquela”.

Mais um:

Eu me refiro àquela aluna.

O verbo referir-se é transitivo indireto, pois quem se refere se refere a alguém. Assim, sendo o objeto um substantivo feminino precedido do pronome “aquela”, a crase deve ser utilizada.

Não é assinante?

Estude com a gente!

Macete

Um macete que pode ajudar muito nas questões sobre crase: troque o substantivo feminino por um masculino. Se o “a” virar “o” significa que havia apenas um artigo definido (portanto, não se utiliza a crase). Mas se o “a” virar “ao”, significa que havia artigo + preposição (ou seja, que a crase deve ser utilizada).

Exemplo 1:

Conheço a aluna.

Substituindo-se o objeto por um substantivo masculino teremos “Conheço o aluno”. O substantivo “aluno” vem precedido somente pelo artigo definido “o”, ou seja, o verbo não requer a preposição “a”. Por isso, na frase original não se utiliza crase.

Exemplo 2:

Refiro-me à aluna.

Substituindo-se o objeto por um substantivo masculino teremos “Refiro-me ao aluno” . O substantivo aluno vem precedido pela preposição “a” e pelo artigo definido “o” (“ao”), ou seja, o verbo requer a preposição “a”, motivo pelo qual na frase original se utiliza crase.

Ficou mais fácil agora, não ficou? Existem algumas regrinhas para casos especiais, mas com essas dicas você já consegue resolver grande parte das questões sobre o assunto.

Assine nosso Curso Completo

Opções de pagamento no cartão de crédito ou no boleto, em até 12x! Experimentar 7 dias