Fisiologia humana – Sistema nervoso

Esta aula é gratuita!

Basta fazer seu cadastro para ter seu acesso ao melhor conteúdo para vestibulares e Enem.

É responsável pelo ajustamento do organismo ao ambiente.

DIVISÃO:

1. SISTEMA NERVOSO CÉREBRO-ESPINHAL:

a) Sistema Nervoso Central (SNC): processa e integra informações.

a.1) encéfalo ( cérebro, cerebelo, bulbo, ponte).
a.2) medula espinal ou raquidiana.

b) Sistema Nervoso Periférico (SNP): liga o SNC às diversas partes do organismo.

b.1) nervos:
   • 12 pares de nervos cranianos.
   • 31 pares de nervos raquidianos.
b.2) gânglios.

2. SISTEMA NERVOSO AUTÔNOMO OU VISCERAL:

a) simpático
b) parassimpático

Vamos estudar mais detalhadamente cada um deles:

1. SISTEMA NERVOSO CÉREBRO-ESPINHAL:

a) Sistema Nervoso Central (SNC):

a.1) Encéfalo: É o centro de controle do funcionamento do corpo.

a.1.1) Cérebro: É o centro da inteligência e do aprendizado.
• Hemisfério direito – associado à criatividade e às habilidades artísticas;
• Hemisfério esquerdo – habilidades analíticas e matemáticas.
• O SNC é protegido por membranas – as MENINGES – dura-máter (externa, mais espessa); aracnóide (mediana) e pia-máter (mais interna, firmemente aderida ao encéfalo e à medula, com vasos sanguíneos – nutrição e oxigenação das células).
• Líquido cefalorraquidiano (ou líquido cérebroespinal) – entre a aracnóide e a pia-máter, circula também nas cavidades internas do encéfalo e da medula; amortece os choques mecânicos do SNC contra os ossos do crânio e da coluna vertebral.
• Substância cinzenta – por fora (camada mais externa); formada principalmente por corpos celulares dos neurônios.
• Substância branca – por dentro (região encefálica mais interna), constituída principalmente por fibras nervosas (dendritos e axônios); deve-se ao estrato  mielínico que reveste as fibras.

a.1.2) Ponte: É constituída principalmente por fibras nervosas mielinizadas que ligam o córtex cerebral ao cerebelo.

a.1.3) Bulbo raquidiano: Possui importantes centros nervosos, responsáveis pelos movimentos da musculatura do coração, dos músculos respiratórios e da musculatura do tubo digestivo; localização dos centros nervosos responsáveis pelo reflexo de engolir, vomitar e tossir; coordena movimentos como o de caminhar e correr.

a.1.4) Cerebelo: É responsável pela manutenção do equilíbrio corporal; coordena os movimentos e orienta a postura corporal.

a.2) Medula espinhal:
• Responsável pelos atos reflexos – possibilitam ao organismo reagir rapidamente em situações de emergência, antes mesmo que a informação chegue ao cérebro (e o indivíduo tome consciência).
• Funciona como uma estação retransmissora para o encéfalo de informações colhidas nas diversas partes do corpo.
• Grande parte das ordens elaboradas no encéfalo passa pela medula antes de chegar aos seus destinos.
• Ato-reflexo: resposta imediata à excitação de um nervo sem a intervenção da vontade do indivíduo.
• Componentes de um arco-reflexo:
   + órgão sensorial – transforma o estímulo em impulso.
   + via sensitiva – neurônios aferentes.
   + neurônio de associação.
   + via motora – neurônios eferentes.
   + órgão efetor – realiza a resposta final.
• Reflexo patelar – tomam parte apenas dois neurônios, um sensitivo e um motor.

b) Sistema Nervoso Periférico (SNP):
• Constituição: nervos e gânglios nervosos.
• Função: conecta o SNC às diferentes partes do corpo.
• Nervos – feixes de fibras nervosas envoltos por uma capa de tecido conjuntivo (neles há vasos sanguíneos).
• Gânglios nervosos – são aglomerados de corpos celulares de neurônios localizados fora do sistema nervoso central; aparecem como pequenas dilatações em certos nervos.
• Tipos de nervos:
   + Sensitivos (aferentes) – conduzem impulsos dos órgãos dos sentidos para o SNC.
   + Motores (eferentes) – conduzem impulsos do SNC até os órgãos efetuadores (músculos ou glândulas).
   + Mistos – conduzem impulsos nos dois sentidos.

b.1) Nervos raquidianos:
• 31 pares.
• Dispõem-se em pares ao longo da medula, um par por vértebra.
• Cada nervo do par se liga lateralmente à medula por meio de duas “raízes” , uma localizada em posição dorsal (sensitiva) e outra, em posição mais ventral ( motora).
• Ramos de diferentes nervos podem se juntar, formando verdadeiras redes nervosas, chamadas plexos nervosos.
• Na medula há substância cinzenta por dentro e substância branca, por fora.

2. SISTEMA NERVOSO AUTÔNOMO OU VISCERAL:

• Regula o ambiente interno do corpo, controlando a atividade dos sistemas digestivo, cardiovascular, excretor e endócrino.
• Divisão: simpático e parassimpático (funcionamento antagônico).

a) Simpático: gânglios localizados ao lado da medula espinal,  estimula ações que mobilizam energia (permite ao organismo responder a situações de estresse).

b) Parassimpático: gânglios próximos ou mesmo dentro do órgão efetuador,  estimula principalmente ações relaxantes.
 

Ação

Simpático

Parassimpático

1- Pupila

Dilata

Contrai

2- Coração

Acelera

Retarda

3- Vasos sangüíneos

Contrai

Dilata

4- Estômago

Paralisa

Excita

5- Intestino

Paralisa

Excita

6- Bexiga

Relaxa

Contrai

7- Útero

Relaxa

Contrai

8- Neurotransmissor

Adrenalina

Acetilcolina

ALGUNS DADOS FISIOLÓGICOS:

• Potencial de repouso: -60  a -70 mv.
Potencial de ação: -+ 35 mv.
Limiar de excitação: intensidade mínima de um estímulo para que haja resposta do neurônio.
Lei do tudo ou nada: ultrapassado o limiar de excitação a resposta será sempre igual.
Condução nervosa: saltatória.
Sinapse: contato entre dois neurônios contíguos.
Neurotransmissores mais comuns: adrenalina e acetilcolina.
Neurônio: com bainha de mielina (isolante elétrico) – formada pela célula de Schwann.
Impulso nervoso: onda de despolarização seguida de repolarização.

ALGUNS DISTÚRBIOS DO SISTEMA NERVOSO:

1. Acidente Vascular Cerebral (AVC): Causado tanto pela obstrução de uma artéria, que leva à isquemia de uma área do cérebro, como por uma ruptura arterial, seguida de derrame. Provoca lesão cerebral irreversível. Os sintomas dependem tanto da causa do acidente quanto da localização e extensão da área afetada. Do total de pessoas afetadas por  um AVC,  há 20 a 30% de óbitos. Fatores que predispõem ao AVC: hipertensão arterial, obesidade, diabete melito, uso de pílulas anticoncepcionais, hábito de fumar.

2. Epilepsia: Não é uma doença e, sim, um sintoma, que pode ocorrer em diferentes formas clínicas. As epilepsias aparecem, normalmente, antes dos 18 anos de idade e podem ter causas diversas: anomalias congênitas, doenças degenerativas do sistema nervoso, infecções, lesões decorrentes de traumatismo craniano, tumores cerebrais, etc.

3. Cefaléias: Dores de cabeça de origem associada a fatores diversos: tensão emocional, distúrbios visuais e hormonais, hipertensão arterial, infecções, sinusites, etc.

4. Enxaqueca: Tipo de cefaléia que ataca periodicamente e se caracteriza por dor latejante, que geralmente afeta metade da cabeça. As enxaquecas são acompanhadas frequentemente de fotofobia, distúrbios visuais, náuseas, vômitos, dificuldades em se concentrar, etc. São desencadeadas por diversos fatores: tensão emocional, tensão pré-menstrual, fadiga, atividade física excessiva, jejum, etc.

5. Doenças degenerativas:

a) Esclerose múltipla: Manifesta-se por volta dos 25 a 30 anos de idade, sendo mais frequentes nas mulheres. Primeiros sintomas: alterações da sensibilidade e fraqueza muscular. Podem aparecer, progressivamente, perda da capacidade de andar, distúrbios emocionais, incontinência urinária, quedas de pressão, sudorese intensa, etc. Resulta da destruição progressiva do estrato mielínico que envolve os nervos.

b) Doença de Parkinson: Manifesta-se geralmente a partir dos 60 anos de idade. Causada por alterações nos neurônios que constituem a “substância negra” e o corpo estriado, dois importantes centros motores do cérebro. Sintomas: movimentos lentos, rigidez corporal, tremor incontrolável, acentuada redução na quantidade de dopamina.

c) Doença de Huntington: Manifesta-se por volta dos 40 anos de idade. Perda progressiva da coordenação dos movimentos involuntários, da capacidade intelectual e da memória. Ocorre morte de neurônios do corpo estriado. Doença hereditária causada por uma mutação genética.

d) Doença de Alzheimer: A partir dos 60 anos de idade. Perda progressiva da memória, das capacidades de aprender e falar. Alterações em diversos grupos de neurônios do córtex cerebral. Também é de natureza hereditária.

 

Texto:
Prof. Geraldo Sobrinho