Aula exclusiva para assinantes

Assine o Vestibular.com.br e tenha acesso ao melhor conteúdo para vestibulares e Enem.

Experimente 7 dias grátis

Segundo Arrhenius, bases (álcalis) são substâncias que sofrem dissociação iônica em solução aquosa, liberando como ânion somente o íon hidróxido ou hidroxila (OH). Tais substâncias se caracterizam por um sabor adstringente, que “amarra” a boca, e causam uma sensação viscosa.  

Embora o conceito de Arrhenius seja o mais utilizado, existem outros. Em 1923, Johannes N. Brönsted e Thomas M. Lowry, independentemente e simultaneamente, conceituaram ácidos e bases a partir das reações químicas ocorridas na ausência de água. Segundo esse critério, consideram-se ácidos as substâncias que atuam como doadoras de H+, e bases, aquelas que atuam como receptoras de H+, ou seja, de prótons.

Em razão da existência da hidroxila em sua composição, a nomenclatura das bases é formada da seguinte maneira:

Hidróxido de + Nome do cátion

A base NaOH, por exemplo, é denominada hidróxido de sódio; a base Ca(OH)2, hidróxido de cálcio; e assim por diante. Quando uma mesma substância forma mais de uma base, elas são diferenciadas pelo número de hidroxilas – Fe(OH)2, por exemplo, é o hidróxido de ferro II, enquanto Fe(OH)3 é denominado hidróxido de ferro III.

Outra alternativa é acrescentar o sufixo “oso” à base com o menor número de hidroxilas e o sufixo “ico” àquela com o maior número desse íon. Assim, o hidróxido de ferro II pode também ser chamado de hidróxido ferroso, e o hidróxido de ferro III, de hidróxido férrico.

Classificação das bases

As bases podem ser classificadas segundo três critérios distintos: o número de hidroxilas, o grau de dissociação e a solubilidade.

Segundo o número de hidroxilas, ou seja, o número de íons OH liberados na dissociação iônica, as bases se classificam em monobases, dibases, tribases ou tetrabases, conforme apresentem uma, duas, três ou quatro hidroxilas, respectivamente.

Já quanto à força ou grau de dissociação, as bases podem ser classificadas em fortes ou fracas. Bases fortes são aquelas que se dissociam muito (geralmente formadas por metais alcalinos e alcalino-terrosos), e bases fracas são aquelas que se dissociam pouco (formadas pelos demais metais e pelo hidróxido de amônio).

Quanto à solubilidade, por fim, as bases podem ser classificadas em solúveis (bases formadas por metais alcalinos), pouco solúveis (bases formadas por metais alcalino-terrosos) ou insolúveis (outras bases).