Anelídeos

Aula exclusiva para assinantes

Assine o Vestibular.com.br e tenha acesso ao melhor conteúdo para vestibulares e Enem.

Experimente 7 dias grátis

Anelídeos

Características gerais: Animais vermiformes de corpo cilíndrico e metamerizado. Triblásticos, celomados, esquizocélicos, protostômios, simetria bilateral e hiponeuros.

Tegumento: epitélio simples, glandular mucosa, com cutícula delgada, úmida e permeável; representantes com cerdas – auxiliam na locomoção.

Digestão: sistema digestório completo; com tiflosole – dobra dorsal do intestino para aumentar a superfície de absorção; com células cloragógenas – metabolismo de lipídios, aminoácidos e glicogênio; minhocas com glândulas calcígenas anexas ao esôfago – neutralizar a acidez do solo; presença de papo e moela.

Respiração: tegumentar nos oligoquetos e hirudíneos; branquial nos poliquetos.

Excreção: sistema excretor nefridiano; com um par de nefrídios em cada segmento; nefrídio: nefróstoma, nefroduto; bexiga ou vesícula e nefridióporo; o nefridióporo abre no segmento (metâmero) seguinte.

Circulação: sistema circulatório fechado; minhocas com cinco pares de vasos contráteis (corações);

Sustentação e locomoção: sustentação por esqueleto hidrostático (fluido que preenche a cavidade celômica); não há um verdadeiro sistema esquelético; músculos longitudinais e circulares.

Sistema nervoso: ganglionar ventral; um par de gânglios cerebróides (supraesofágicos), um anel nervoso periesofágico, um par de gânglios subesofágicos, dois cordões nervosos longitudinais e ventrais e um par de gânglios por segmento.

Órgãos dos sentidos: células táteis (foto e quimiorrecepção), tentáculos e olhos rudimentares.

Reprodução: grande capacidade de regeneração; reprodução assexuada por esquizogênese (Nereis); monóicos (minhoca e sanguessuga) e dióicos (poliquetas); fecundação cruzada e externa;  com clitelo permanente (minhoca) , temporário (sanguessuga) ou ausente (poliquetos); desenvolvimento direto (oligoquetos e hirudíneos) ou indireto (poliquetos); larva: trocófora.

Clitelo: formação glandular que auxilia na reprodução; forma o casulo ou ooteca (local onde desenvolvem os embriões).

Classificação:

1. Oligoquetos:
• metamerização homônoma verdadeira.
• sem cabeça distinta do corpo.
• monóicos.
• fecundação cruzada e externa.
• desenvolvimento direto.
• com clitelo permanente.
• poucas cerdas implantadas diretamente na superfície do corpo.
• habitat: água doce e solo úmido.
• exemplo: as minhocas.

2. Poliquetos:
• metamerização heterônoma.
• com cabeça diferenciada, com tentáculos e palpos.
• dióicos.
• fecundação cruzada e externa.
• desenvolvimento indireto.
• larva: trocófora.
• sem clitelo.
• muitas cerdas implantadas em expansões laterais do corpo – os parapódios.
• marinhos.
• exemplo: minhoca da praia ou corrupto.

3. Hirudíneos (aquetas):
• metamerização homônoma falsa.
• sem cabeça diferenciada.
• monóicos.
• fecundação cruzada e externa.
• desenvolvimento direto.
• com clitelo temporário.
• sem cerdas.
• com ventosas: oral  (alimentação) e terminal (para fixação e locomoção).
• em água doce e terra úmida.
• predadores ou ectoparasitos.
• exemplo: sanguessuga.

Resumo comparativo entre as classes de anelídeos:

Biologia 12 - 1